Fundada em 1984

Email

geral@adapvc.pt

Telefone

+351 252 627 700

Morada

Praça Luís de Camões, 31

“Espírito dos Mares” na Feira de Artesanato

A Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde realiza-se, este ano, sob o signo do “Espírito dos Mares”, inspirando-se na Conferência sobre os Oceanos, promovida pela ONU e reagendada para 2022, em Lisboa.

Atento o apelo para uma maior ação na conservação e regeneração dos oceanos, a organização da Feira Nacional de Artesanato desafiou os artesãos a elaborarem peças relacionadas com “O Espírito dos Mares”, resultando numa exposição temática que irá, assim, reforçar os motivos de interesse para uma visita ao certame.

Destaque ainda para as Jornadas Gastronómicas, as quais, sem sair do recinto, permitem aos visitantes percorrer o País de Norte a Sul, fazendo uma viagem pelo melhor da Cozinha Portuguesa.

Com modelo revisto e adaptado ao contexto pandémico que atravessamos, a Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde está de regresso aos Jardins da Av. Júlio Graça, entre 24 julho e 8 agosto.

Depois de um ano de interregno – o primeiro na história do certame – por força da crise pandémica, a organização da Feira Nacional de Artesanato reduziu o número de espaços expositivos na atual edição, bem como definiu um Plano de Contingência de modo a garantir a segurança sanitária para expositores e visitantes.

Assim, cumprindo as orientações da Direção Geral da Saúde, a lotação do recinto terá número de visitantes limitado, os quais devem cumprir as seguintes normas:

  • Uso de máscara obrigatório
  • Distanciamento social
  • Medição da temperatura à entrada do recinto da feira
  • Lavagem/desinfeção frequente das mãos
  • Proibição de consumir alimentos/bebidas fora das áreas devidamente identificadas para o efeito

Organizada em parceria pela Câmara Municipal de Vila do Conde e pela Associação para Defesa do Artesanato e Património de Vila do Conde, a Feira Nacional de Artesanato, tem entrada gratuita, decorrendo num espaço frondoso e apetecível, ao ar livre, num recinto com 11.000 m2, onde os artesãos exibem as suas artes e saberes ancestrais.